Artigos

TÉDIO? 10 DICAS PARA FAZER QUANDO NÃO HÁ NADA PARA FAZER

TÉDIO

Sabe esses dias em que horas dizem nada
E você nem troca o pijama, preferia estar na cama
Um dia a monotonia tomou conta de mim
É o tédio
Cortando os meus programas, esperando o meu fim

TÉDIO – BIQUINI CAVADÃO

Já sentiu tédio nessa pandemia?

Há uma diferença entre apreciar um tempo sozinho e sem obrigações, e ser socialmente obrigado a isso, como as restrições à circulação de pessoas têm imposto socialmente.

Pesquisa de 2017, coordenada pela psicóloga da Universidade de Buffalo, Julie C. Bowker, determinou que a importância da criatividade na superação deste momento.

O estudo envolveu 295 participantes e avaliou criatividade, sensibilidade à ansiedade, sintomas depressivos, agressividade, o “sistema de abordagem comportamental”, que regula comportamentos e desejos, e o “sistema de inibição comportamental”, que regula comportamentos e desejos de evitação.

Os modelos revelaram evidências de associações entre a criatividade e o tédio associado à insociabilidade.

TÉDIO

ENTÃO, O QUE FAZER? 

Uma pessoa entediada pode achar que há algo errado com ela: “será que não tenho mais amigos?”, por exemplo.

Estar conectado (online) o tempo todo pode oferecer um alívio temporário, frequentemente seguido por uma reação de tédio ainda mais intensa.

Mas, não ter nada para fazer pode ser uma oportunidade de realizar algo de bom para si mesmo. Um momento para revelar seu lado criativo.

Abaixo, estão alguns pensamentos e ações a considerar:

TÉDIO

1. Faça uma lista de desejos que lhe façam sentido. Desejos para realizar em curto, médio e longo prazo, para você e para pessoas que você ama.

2. Surpreenda sua imaginação lendo um livro infantil. Que tal revisitar “O Menino Maluquinho”, por exemplo?

3. Perdoe alguém e alivie-se. Gaste um tempo pensando na situação que criou o conflito no passado, incluindo sua própria responsabilidade no que aconteceu. Pense na outra pessoa sem desejar-lhe mal.

4. Aprecie a natureza. Olhe pela janela e veja os pássaros, a beleza de uma árvore, ou a forma das nuvens.

5. Escreva uma carta à mão para uma pessoa significativa, como cônjuge, amigo, pai ou filho.

6. Use seu poder cerebral. Por exemplo, ao aderir com fervor a um objetivo, acionamos a dopamina. A serotonina pode ser desencadeada pela autoconfiança. Para sentir os benefícios da endorfina, tire um tempo para rir ou faça exercícios físicos leves.

7. Comece um “diário de gratidão”, para fazer anotações diárias de coisas boas que ocorrem em sua vida.

8. Aproveitando a caneta… comece a escrever suas “memórias”. Não precisa ser um livro inteiro. A intenção é resgatar lembranças e construir uma narrativa sobre sua vida.

9. Leia um livro de ficção. Pesquisadores sugerem que a ficção melhora o vocabulário, as habilidades linguísticas e até a inteligência emocional.

10. Medite. Há várias formas e métodos. Encontre um que sirva para você.

Estas são apenas algumas dicas. Mas, se puder segui-las, você pode apreender a apreciar a solidão ou o tédio, em vez de temê-los.

Referência

Bowker, J.C., Stotsky, M.T., Etkin, R.G. (2017) “Como as variáveis BIS/BAS e psicocomportamental distinguem entre subtipos de abstinência social durante a idade adulta emergente”. Personalidade e Diferenças Individuais, Elsevier.


VEJA TAMBÉM – TÉDIO CONTEÚDO RELACIONADO

https://rgpsicologia.com/


ENTRE EM CONTATO AGORA!

Deixe uma resposta