Artigos

BARBIE CAUSA DANO À IMAGEM CORPORAL QUE BONECA REALISTA NÃO DESFAZ

BARBIE

BARBIE

Mesmo que as barreiras entre brinquedos considerados “para meninos” e “para meninas” estejam se diluindo, as bonecas ainda são mais populares entre crianças do sexo feminino.

Chama a atenção que muitas delas não se assemelha em nada com as meninas que brincam com elas: ao contrário, têm corpos ultra magros, de aspecto adulto, com seios grandes e cinturas estreitas. São figuras cujas proporções corporais se traduziriam em um corpo perigosamente magro em uma mulher de verdade.

As bonecas Barbie são as mais frequentemente criticadas nesse aspecto, mas outras bonecas têm formas corporais ainda mais exageradas. As bonecas Monster High, por exemplo, se transformadas em corpos humanos, teriam índices de massa corporal abaixo de 10 – o que é incompatível com a vida.

Uma nova pesquisa publicada na revista Body Image testou os efeitos de brincar com bonecas ultra magras (bonecas Barbie e Monster High) em comparação com brincar com bonecas de proporção física mais realista (bonecas Dora e Lottie). As bonecas ultra magras mudaram a percepção das meninas sobre a forma corporal ideal, levando-a para o extremo mais magro do espectro. Infelizmente, brincar com bonecas realistas não desfez esse efeito. 

Problemas com a imagem corporal são comuns entre meninas pré-adolescentes e estão ligados a transtornos futuros que incluem distúrbios alimentares e depressão. Os autores    desta nova pesquisa argumentam que o período entre 6 e 11 anos de idade é fundamental no que se refere ao desenvolvimento da imagem corporal das meninas. Durante essa fase, as meninas podem começar a internalizar um ideal corporal ultra magro e irrealista.

Esta também é a faixa etária durante a qual as meninas podem começar a sentir os efeitos da objetificação cultural do corpo das mulheres. Aquelas que começam a ver seus próprios corpos a partir dessa perspectiva objetificada correm maior risco de desenvolver depressão grave na adolescência.

As imagens de corpos de mulheres expostas na mídia podem moldar o que achamos bonito ou desejável, especialmente quando a exibição desses corpos é acompanhada por imagens de riqueza, felicidade e sucesso.

As bonecas parecem funcionar da mesma maneira em relação ao poder de influenciar a imagem corporal das meninas.

Brincar com bonecas diferentes leva a diferentes ideais corporais

Estudo realizado com 35 meninas britânicas, entre 5 e 9 anos, avaliou imagem corporal e ideais corporais.

As meninas poderiam usar um mouse para mudar o tamanho do corpo da menina ou mulher que apareciam em uma tela. Mover o mouse em uma direção fazia o corpo na tela mais fino; movê-lo na direção oposta tornava o corpo mais grosso. Os corpos utilizados na pesquisa foram baseados em escaneamentos 3D de crianças e adultos reais.

Primeiro, as meninas foram convidadas a selecionar o corpo que mais se parecia com o delas. Em seguida, perguntaram a elas: “Como você mais gostaria de parecer?”. O corpo que escolheram em resposta a essa pergunta foi nomeado seu “corpo ideal”. A distância entre seu corpo ideal e a percepção de seu próprio corpo foi usada como medida de insatisfação corporal.

BARBIE
Amostras de telas da tarefa do computador. 
Fonte: Lynda  Boothroyd  et al., 2021/CC-BY

Após a tarefa do computador, as meninas receberam duas bonecas para brincar por cinco minutos. Elas receberam, aleatoriamente, bonecas ultra magras (uma Barbie e uma Monster High) ou bonecas projetadas para imitar o tamanho e a forma realistas de meninas da mesma idade (uma boneca Dora a aventureira, e uma boneca Lottie). As meninas escolheram uma das duas bonecas que lhe ofereceram, depois foram brincar com outra criança ou com o pesquisador. Depois de brincar com as bonecas, as meninas fizeram a avaliação do computador mais uma vez.

Bonecas e brinquedos usados no estudo. Fonte: Lynda Boothroyd et al, 2021/CC-BY

Os autores descobriram que brincar com as bonecas Barbie / Monster High levou as meninas a selecionar um “eu ideal” mais magro quando repetiam a tarefa do computador. As bonecas de proporções realistas não mudaram a opinião das meninas sobre o corpo ideal. No entanto, brincar com essas bonecas aumentou a satisfação das meninas com seu próprio corpo.

Em outro estudo, com 54 meninas britânicas, entre 5 e 10 anos, os autores testaram se brincar com as bonecas realistas por alguns minutos poderia desfazer os efeitos de brincar com as bonecas ultra magras. Todas as garotas brincaram com as bonecas Barbie / Monster High por três minutos, então foram divididas aleatoriamente em três grupos. Um grupo teve uma segunda sessão de jogos com as bonecas ultra magras, um grupo brincou com as bonecas realistas, e um terceiro grupo brincou com carros.

A mesma avaliação informatizada usada no primeiro estudo revelou que, mais uma vez, brincar com as bonecas Barbie / Monster High levou as meninas a selecionar um corpo ideal mais fino para si mesmas. Novamente, não houve evidência de que brincar com bonecas realistas depois de brincar com as bonecas ultra magras poderia desfazer esse efeito. Em vez disso, a mudança inicial nas percepções das meninas sobre um corpo ideal depois de brincar com as bonecas ultra magras tendia a permanecer.

Devo jogar a Barbie fora?

Que mensagem esta pesquisa deixa para os pais?

Parece uma boa decisão afastar as crianças de bonecas ultra magras, de aspecto adulto, e ficar com bonecas que se parecem mais com crianças reais. Esta pode ser uma tarefa difícil, considerando que as crianças são expostas desde cedo a propagandas que divulgam essas bonecas.   

Vale lembrar, porém, que a imagem corporal das meninas começa a se formar cedo, e que seu ideal de corpo pode ser influenciado por uma infinidade de fatores (membros da família, amizades, mídia), inclusive pelas bonecas de brinquedo. Nesse sentido, mesmo um pequeno passo para mudar o conteúdo dessas mensagens pode fazer diferença.

REFERÊNCIA (BARBIE):

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1740144521000243#!

VER TAMBÉM:

https://rgpsicologia.com/

ENTRE EM CONTATO COMIGO!

2 comentários em “BARBIE CAUSA DANO À IMAGEM CORPORAL QUE BONECA REALISTA NÃO DESFAZ”

Deixe uma resposta