Artigos

Alguém mastigando ou uma respiração mais forte irritam você? É MISOFONIA

MISOFONIA

MISOFONIA

Imagine você acabou de deitar-se em sua cama depois de um dia cansativo. Você está prestes a dormir, e de repente seu companheiro (ou companheira) começa a roncar. Os roncos são altos e rítmicos. É o único som que você consegue ouvir. Seu coração começa a acelerar, o sono indo embora, e você sente uma irritação crescente. Você cobre o rosto com um travesseiro, muda de lado, mas o ronco ainda é audível. A irritação se transforma em raiva e começa a dominá-lo…

Imagine agora essa mesma sensação de impaciência e raiva, mas desta vez em um tranquilo almoço de família, ou numa reunião de trabalho, ou em uma noite no cinema com amigos. Imagine-se tentando explicar sua mudança repentina de humor e comportamento para seus entes queridos, colegas e amigos.

É assim que se sente quem sofre com a misofonia.

Todo mundo tem problemas com sons desagradáveis: talvez seja um cachorro latindo ou um bebê chorando. Isso é normal. O que não é normal é quando isso se torna uma ocorrência muito frequente, que começa a interferir negativamente na sua vida. É a chamada misofonia clínica.

MISOFONIA

O QUE É MISOFONIA?

A palavra misofonia significa, literalmente, “aversão ao som”.

Quem sofre com a misofonia vivencia reações físicas e emocionais automáticas a sons cotidianos. Certos estímulos, ou gatilhos, criam respostas como sentimentos de raiva e ansiedade. Essas reações involuntárias podem tornar tarefas simples insuportáveis.

GATILHOS

Os gatilhos mais comuns para pessoas com misofonia são estímulos auditivos vindos de outros seres humanos. Alguns exemplos destes sons:

  • Raspar utensílios (como garfo, faca ou colher) no prato;
  • Mastigação;
  • Bebida sendo engolida;
  • Beijo;
  • Escovação de dentes;
  • Soluços;
  • Tossir;
  • Espirrar;
  • Assoviar;
  • Respiração;
  • Ronco.

Embora a misofonia esteja estreitamente ligada aos sons, as mesmas reações podem ser provocadas por gatilhos visuais que causam uma ansiedade antecipatória. Um exemplo disso é a observação de uma mandíbula se movendo pela mastigação.

Quem sofre com a misofonia pode ter apenas gatilhos auditivos, ou pode ter uma combinação de auditivos e visuais. Em alguns casos raros, também pode haver gatilhos de odor (certos aromas), tato (tocar certos tecidos) e vibrações (passos pesados, chutes numa cadeira).

SAIBA O QUE PODE AJUDAR

Existem algumas técnicas que podem melhorar o cotidiano de alguém que sofre com a misofonia:

– Ruído branco

Existem aplicativos gratuitos que ajudam a gerar esse ruído estático que ajuda a abafar o ruído de fundo.

– Tampões de ouvido

– Fones de ouvido

Quando for apropriado, coloque seus fones de ouvido com uma música agradável e relaxe.

– Seja empático

Quando alguém lhe incomodar com o som de sua mastigação, tente imaginar o quanto aquela pessoa está gostando da comida. Perceba que essa pessoa provavelmente não tem ideia do que está se passando com você.

– Saia e respire

Saia de perto do estímulo que lhe está lhe incomodando. Acalme-se antes de retornar.

– Explique a situação para as pessoas

Diga às pessoas em quem você confia como o barulho lhe afeta.

– Terapia

Em casos mais intensos, pode ser necessário consultar-se com um profissional.


VEJA TAMBÉM:

https://rgpsicologia.com/


FALE COM O PSICÓLOGO RODRIGO GIANNANGELO

Deixe uma resposta