Artigos

SINAIS DE QUE VOCÊ NAMORA UM NARCISISTA

Quem já se relacionou com um parceiro narcisista talvez já conheça o padrão: no começo, muitos cuidados e demonstrações (até exageradas) de afeto; de repente, uma brusca mudança de humor transforma aquela pessoa amorosa em alguém impaciente e controlador.

No início da relação, o narcisista busca informações pessoais do outro. O intuito não é um interesse genuíno, mas coletar dados que possa usar para parecer estar “resgatando” ou “salvando” o parceiro.

Por exemplo, imagine que um narcisista começa a se relacionar com uma mãe solo. Logo no começo, ele percebe que, para ela, é difícil e cansativo aliar trabalho e compromissos de mãe. A partir dessa percepção, ele pode se oferecer para levar semanalmente a criança à aula de inglês ou a um parque. Assim, dá a impressão de que está lá para aliviar a pressão sobre a mãe. (Veja outros exemplos mais abaixo)

Aos poucos, essa tática leva a um maior controle na relação, já que a pessoa passa a se sentir cada vez mais dependente do parceiro narcisista.

Conforme o controle se estabelece, porém, o narcisista começa a se mostrar menos prestativo. E mais nervoso.

NARCISISTA

O NARCISISTA É EGOCÊNTRICO POR DEFINIÇÃO

Quando o narcisista percebe que tem o controle da situação, se sente satisfeito. Contudo, se for criticado ou confrontado, pode usar as informações pessoais que coletou para fragilizar e/ou atacar a pessoa.

Surpresa com a brusca e súbita alteração de temperamento, a pessoa que até então sentia segurança pode se sentir desmoralizada e decepcionada consigo mesma, porque o único indivíduo em quem confiava se mostrou uma ilusão. Emocionalmente abalada, a pessoa pode sucumbir à ideia de que a culpa é sua.

NARCISISTA

EXEMPLOS DE MANIPULAÇÃO NARCISISTA

EXEMPLO 1

Pedro se abre para Maria sobre problemas passados com álcool. Maria escuta atentamente e Pedro sente como se Maria se importasse autenticamente. No entanto, algumas semanas depois, durante um desentendimento, Maria afirma: “Talvez você devesse parar de sair para beber com seus amigos. Eles sabem que você é um bêbado?

Pedro está atordoado. Ele ignora o comentário, mas dói.

No mês seguinte, Pedro fica de fora de vários eventos sociais com seus amigos. Ele descobre que Maria entrou em contato com eles e contou que Pedro tem problemas com álcool. Maria pediu aos amigos de Pedro para se absterem de convidá-lo para eventos onde o álcool esteja   presente.

Neste exemplo, Maria explora as informações pessoais de Pedro e as usa para atacar Pedro durante uma discussão. Ela também distorce a história e a transmite para outras pessoas sem o conhecimento dele.

É importante notar que, quando o sujeito narcisista convence o outro de que pode ser seu “salvador”, ganha acesso a detalhes pessoais que lhe permitem criar a dependência emocional.

EXEMPLO 2

Ana se esforça para tocar seus negócios. Seu representante nas redes sociais é irresponsável e custa aos clientes de Ana.

Ana está em pânico e, enquanto janta com João, revela sua angústia.

João escuta atentamente e diz: “Não se preocupe, Ana, eu tenho uma grande equipe de mídia social. Envie-me seu conteúdo. Vou encaminhá-lo e pedir que liguem para você amanhã.” Ana entende que o interesse de João em ajudar deve significar que ele realmente se importa.

Antes que Ana perceba, está se comprometendo com uma nova equipe, e João está por trás de tudo. Ele diz que Ana pode relaxar, pois ele vai cuidar de tudo. Ana confia nele, mas duas semanas depois, verifica seus sites profissionais e percebe que nenhum de seus conteúdos originais é postado. As postagens não autorizadas distorcem a mensagem de sua empresa e retratam um estilo diferente do que Ana deseja. Ela está chocada e devastada.

Chateada, Ana confronta João, que se mostra ofendido e irritado. Ele chama Ana de ingrata. A atitude dele só piora a preocupação de Ana. Ela tenta trabalhar com a nova equipe, mas eles são frios e parecem apenas respeitar as ordens de João. Conforme se vê presa à situação, Ana ainda tenta se convencer de que as intenções de João são amistosas…

NARCISISTA

EXEMPLO 3

Antonio está parado no acostamento com problemas em seu carro. Ele chama seu novo parceiro, Ricardo, que corre para ajudar. Eles arranjam um reboque para pegar o carro e Ricardo empresta a Antonio um veículo. Antonio está agradecido e lisonjeado pela atenção de Ricardo.

Duas semanas depois, Antonio está surpreso. Ricardo frequentemente parece saber o paradeiro de Antonio. No entanto, Antonio confia em Ricardo e atribui a ocorrência à boa intuição.

No final do mês, Antonio é convencido a vender seu carro e continuar utilizando o de Ricardo. Antonio concorda com a ideia de Ricardo de que usar o carro emprestado em vez de comprar um novo pode ajudar Antonio financeiramente.

Alguns dias depois, Ricardo questiona Antonio sobre detalhes de seu dia. Confuso, Antonio diz a Ricardo que esteve fazendo entregas – como de costume em seu trabalho. Ricardo fica com raiva e chama Antonio de mentiroso. Acusa Antonio de traição e de flertar com outros. Antonio está surpreso e envergonhado. Embora Antonio estivesse realmente fazendo entregas, a crença inabalável de Ricardo gera culpa em Antonio.

Embora Ricardo admita ter deixado um dispositivo de rastreamento no carro, Antonio se sente em dívida com Ricardo, que o “ajudou”. Antonio tenta esquecer o que houve. Ele acredita que Ricardo o ama porque é obcecado com sua segurança…

3 SINAIS DE MANIPULAÇÃO NAS RELAÇÕES

1. A necessidade de informações pessoais.

Como já disse acima, essa busca por informações expressa o desejo de ter o parceiro ou parceira sob controle, conhecendo ao máximo seus “pontos fracos”.

Mesmo que as revelações pessoais não sejam comprometedoras, o indivíduo narcisista pode facilmente distorcer os detalhes para obter uma história humilhante.

2. A tendência de se mostrar “salvador”, de ajudar.

Esse “resgate” faz com que a pessoa veja o parceiro narcisista como alguém especial, “a pessoa certa”. Com isso, o narcisista obtém acesso ao mundo privado da pessoa, e passa a agir no sentido de configurar uma relação de dependência.

3. A atenção devotada de um indivíduo em alguém pode não ser sinal de amor.

Apesar de se sentir lisonjeada pelo aparente cuidado, é preciso manter cautela. Pode tratar-se de uma tentativa de controle.

NARCISISTA

O sujeito narcisista estimula em suas relações dependência e controle. O intuito é esconder suas inseguranças inconscientes. O abuso emocional pode ser difícil de detectar porque muitas vezes a situação é configurada para que a vítima sinta como se fosse o vilão ou vilã.

Ter consciência das dinâmicas de relacionamento expostas nesse artigo pode ajudá-lo(a) a se manter seguro(a) pelo mundo dos encontros amorosos.


VEJA TAMBÉM:

https://rgpsicologia.com/


FALE COM O PSICÓLOGO RODRIGO GIANNANGELO



Deixe uma resposta