Artigos

5 DICAS PARA SER PRODUTIVO QUANDO FALTA MOTIVAÇÃO

Sem motivação? Precisa ser produtivo? Tente essas soluções.

A falta de motivação pode ter muitas origens, de fadiga a ansiedade, e identificar suas causas é fundamental para superá-la.

A desmotivação dificulta especialmente o engajamento em tarefas difíceis e desagradáveis.

MOTIVAÇÃO

Em geral, algumas providências costumam ajudar a reverter a falta de ânimo para realizar uma lista de tarefas. Por exemplo, iniciar pelos afazeres que podem ser resolvidos mais rapidamente, que são mais fáceis ou pessoalmente mais satisfatórios (mesmo que não sejam os mais importantes). Depois de se “aquecer” com essas tarefas menores, você estará mais preparado para enfrentar o restante do trabalho, certificando-se de fazer pausas regulares e recompensar-se depois de completar cada item da sua lista.

Porém, talvez a motivação não venha mesmo assim. Principalmente neste momento social que estamos vivendo, provocado pela pandemia do novo coronavírus, tenho percebido no consultório que muitas pessoas têm se sentido mais desanimadas, desenergizadas e tristes.

Logo, entenda: você não está sozinho.

Algumas dicas podem ser valiosas diante desse cenário. Abaixo, listo cinco passos que podem ajudá-lo a superar o bloqueio da falta de motivação.

MOTIVAÇÃO

1. COMPREENDER MELHOR SEUS SENTIMENTOS

Há emoções que podem estar disfarçadas sob a aparência de baixa motivação. Assim, se você conseguir perceber o que está realmente sentindo, o caminho a seguir ficará mais claro.

Para ajudar nessa tarefa de diferenciar a desmotivação de outros sentimentos, conheça alguns deles:

– Ansiedade por excesso de trabalho

A ansiedade costuma ser um sentimento paralisante, facilmente confundido com desmotivação.

Se você está sobrecarregado e isso lhe traz ansiedade, tente diminuir sua lista de tarefas. Se não for possível, ao menos alinhe suas expectativas de desempenho à realidade. Por exemplo, é humanamente impossível atuar em uma tarefa que exige hiperfoco durante 5-6 horas ininterruptas sem que a produtividade caia significativamente.

– Sensação de inferioridade em relação a uma pessoa ou grupo

Sentir-se inferiorizado pode fazer com que você sinta que não vale a pena insistir naquele trabalho, porque ele nunca ficará tão bom como você gostaria. Isso dá a impressão de desânimo e falta de motivação.

Se você sofre com esse tipo de comparação, vale a pena ficar atento. Você pode estar se exigindo um desempenho irreal, esperando que seu trabalho se apresente tão bem quanto o de alguém com mais experiência, mais conhecimento etc.

– Fadiga

O cansaço leva você a se sentir fraco e sem energia.

Se esse é o seu caso, certifique-se de que você tem descansado o suficiente.

Alguns problemas fisiológicos também podem contribuir para a sensação de fadiga, como o desequilíbrio hormonal ou a falta de certos nutrientes.

2. A MAIS FÁCIL VEM PRIMEIRO

Há “gurus” da produtividade no trabalho que defendem a ideia de que você deve fazer primeiro a tarefa para a qual se sente MENOS motivado (eat the frog – entenda esse conceito AQUI – texto em inglês).

Contudo, para alguém que já está desmotivado, essa estratégia pode levá-lo a nem sair da cama.

A melhor saída é perguntar a si mesmo: “Qual é a tarefa mais produtiva que está dentro da minha capacidade agora?” Por exemplo, se você gostaria de correr, mas não consegue, fazer uma caminhada é muito melhor do que ficar parado.

Nenhuma estratégia de produtividade é infalível e independente das circunstâncias. Variá-las tende a ser benéfico.

3. INVISTA EM TAREFAS RÁPIDAS QUE DÃO RESULTADO

Esta funciona como uma forma de “aquecimento”. Tente tarefas rápidas e com resultados satisfatórios, como pedir as vitaminas que acabaram ou trocar as roupas de cama.

Se você gastar muito tempo com essas tarefas, elas podem tirar seu foco de um trabalho mais importante que precisa ser feito. Cinco a dez minutos desse tipo de tarefas está ótimo. Além disso, quando exageramos em tarefas menores, corremos o risco de estarmos muito cansados para começar um trabalho mais importante.

4. PLANEJE SEUS “PRESENTES”

Planeje trabalhar em uma tarefa de alta prioridade por 90 minutos, em seguida faça uma pausa.

O que você quer fazer nesse intervalo? Dar uma volta ou se deitar ao sol? Conferir o Feed de uma rede social? Enviar mensagem a um amigo? Fazer alguns minutos de ioga?

Planejamento é a palavra-chave. Se você esperar para escolher sua recompensa depois que já estiver exausto, pode não fazer uma escolha satisfatória. Planeje antes de começar, quando sua energia cognitiva está em um nível ótimo.

MOTIVAÇÃO

5. MANTENHA-SE BEM “ABASTECIDO”

Como uma máquina, precisamos estar bem abastecidos para que nossa concentração, foco e motivação funcionem corretamente.

Há pessoas que gostam de tomar café ou outras bebidas com cafeína; outras preferem alimentos como banana e aveia; algumas pessoas fazem uso de bebidas energéticas.

Teste o que funciona para você.

Impulsos físicos podem ter efeitos significativos, mesmo quando são pequenos. Pequenas melhorias podem ser difíceis de notar na correria do dia a dia, mas a autopercepção constante, comparando sua motivação por alguns dias ou semanas, certamente vai ajudar.

MOTIVAÇÃO

x-x-x-x-x-x-x-x

A diminuição ou ausência de motivação pode indicar problemas mais sérios, como depressão ou transtorno de ansiedade. Por exemplo, para pessoas que são cronicamente ansiosas, tudo o que precisam fazer pode parecer assustador e difícil porque estão constantemente pensando no que pode dar errado.

Para esses casos, você precisará mais do que apenas “dicas”.

Espero, porém, que as sugestões contidas neste artigo possam ser parte da solução.

Se preferir, clique no botão do WhatsApp abaixo e fale diretamente comigo.


VEJA TAMBÉM

https://rgpsicologia.com/

x-x-x-x-x-x-x-x

CONHEÇA NOSSAS REDES

Deixe uma resposta