Artigos

Trauma de traição – como lidar com um parceiro que já teve a confiança ferida

Palavras-chave: trauma de traição; traição; quebra de confiança

Por Psicólogo Rodrigo Giannangelo | Publicado em 11 de novembro de 2021


Os efeitos de ter sido traído podem ser graves e duradouros. Quando a traição é cometida por alguém afetivamente significativo, em quem se havia depositado absoluta confiança, esses efeitos costumam ser ainda mais intensos. Podem afetar desde a autoestima até a maneira como a pessoa lida com todos os seus relacionamentos futuros.

trauma de traição
Freepik

Por isso, falamos em um “trauma de traição”.

O trauma de traição não se manifesta de uma única maneira. Em todo caso, é útil ter algumas ideias do que esperar, e de como lidar caso seu parceiro/parceira tenha passado por essa experiência traumática.

Nem sempre a traição traumática ocorre quando um dos parceiros de uma relação monogâmica sai com outra pessoa. Por exemplo, pode se dar com uma criança que foi negligenciada e/ou abusada por seus pais, ou após descobrir que um sócio de longa data desfalcou as finanças da empresa.

Essa ampliação da definição pode deixar as coisas vagas. Afinal,

Como saber se seu parceiro já viveu um trauma de traição?

Bem, muitos dos sintomas que acompanham o trauma da traição giram em torno das relações interpessoais, como família, amigos e parceiros românticos.

trauma de traição
Freepik

Alguém que passou por trauma de traição pode ter muita dificuldade para confiar plenamente em um novo parceiro. Isso dificulta o aprofundamento das relações. São pessoas que se sentem inseguras e podem ter problemas de baixa autoestima. Podem sentir que não são merecedores de seus parceiros e hesitar em se envolver.

Uma pessoa traumatizada também pode sofrer transtornos de ansiedade ou depressão.

Além disso, como em qualquer outra experiência traumática, o trauma de traição pode levar ao desenvolvimento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).

O trauma da traição, independentemente da forma como se manifesta, é um grande desafio, tanto para a pessoa quanto para seu parceiro/parceira atual.

trauma de traição
Freepik

DICAS CASO SEU PARCEIRO(A) TENHA TRAUMA DE TRAIÇÃO

É importante saber o que seu parceiro está vivenciando. Isso significa ouvi-lo o máximo que puder. Mesmo que ele não esteja pronto para compartilhar suas experiências, apenas estar presente e mostrar-se disponível pode fazer uma grande diferença.

Tente ser paciente. Como em qualquer tipo de trauma, esse não se resolve da noite para o dia. O fato de a relação atual não ter apagado o impacto das experiências passadas não significa que tenha menor importância. Manter-se paciente será fundamental enquanto o tempo faz seu trabalho.

Freepik

Não é sobre você. É mais fácil acreditar que o comportamento do nosso parceiro tem a ver conosco do que aceitar que não temos participação (ou controle) naquilo que ele está sentindo. “Se meu parceiro não quer se abrir comigo, eu devo ser o problema!”. Seu parceiro demorar a confiar em você não significa que não lhe ache confiável.

Reconheça suas próprias necessidades. Muitas pessoas cometem o erro de se concentrar no parceiro e se esquecem de si mesmos. A longo prazo, isso pode levar ressentimento para a relação. Mesmo que seu parceiro precise de apoio extra de vez em quando, relacionamento é parceria. Fique atento ao que você deseja e comunique essas necessidades ao seu parceiro.

Procure apoio. Você não é o único responsável por carregar o peso da “cura” do seu parceiro. Você não precisa revelar os detalhes das experiências do seu parceiro a terceiros, mas buscar o apoio de amigos, familiares, ou na terapia, pode ser crucial.


Referências

Gagnon, K. L., Lee, M. S., & DePrince, A. P. (2019). Victim–perpetrator dynamics through the lens of betrayal trauma theory. In The Abused and the Abuser (pp. 131-140). Routledge.

Freyd, J. J. (1996). Betrayal trauma. Encyclopedia of psychological trauma, 76.


RECADO PARA VOCÊ

A pandemia tem afetado o bem-estar de muita gente.

Ansiedade, estresse, medo e pessimismo estão entre os incômodos mais comuns.

Estudos preveem que esses sintomas podem trazer consequências negativas até muito tempo depois que a pandemia terminar.

Portanto, se você não estiver se sentindo bem, procure apoio psicológico.

Fale com o psicólogo Rodrigo Giannangelo pelo Whatsapp:


VEJA TAMBÉM: (semelhante a trauma de traição)

https://rgpsicologia.com/

Deixe uma resposta