Artigos

6 comportamentos que destroem sua relação amorosa

Palavras-chave: relação amorosa; comportamentos; fim de namoro

Por Psicólogo Rodrigo Giannangelo | Publicado em 02 de março de 2022


relação amorosa

Uma relação amorosa pode terminar de modo repentino, mas essa não é a regra. Na maioria das vezes, o fim de um relacionamento ocorre gradual, lenta e silenciosamente.

Uma infinidade de motivos contribui para corroer as relações, de dentro para fora. Pode estar acontecendo entre você e seu parceiro, agora mesmo. Você seria capaz de identificar?

O fim de uma relação amorosa não é simples

Uma relação amorosa envolve um entrelaçamento de vidas. Cada um dos parceiros pode (e deve) continuar desfrutando de seus próprios interesses, hobbies e atividades. Porém, é inegável que suas vidas passam a ter pontos de intersecção importantes – hábitos, pessoas, pensamentos.

Por isso, decidir pela separação é uma questão complexa. Antes de terminar uma relação amorosa, as pessoas costumam enfrentar intensos dilemas internos. Nesse embate, podem ver simultaneamente boas razões para ficar e boas razões para sair, o que torna tudo ainda mais difícil (Joel et al., 2018).

relação amorosa

Sinais de que uma relação amorosa pode estar acabando

Conforme alguns recentes estudos em psicologia, certos comportamentos podem ser sinais de que uma relação amorosa está se encaminhando para o fim. Alguns deles são:

 1. Distanciamento emocional

Essa pode ser uma dica um tanto óbvia, mas é importante destacar: distância emocional significa maior probabilidade de rompimento (Park et al., 2021).

Uma relação amorosa saudável tem parceiros emocionalmente próximos, ou seja, ligados por sentimentos recíprocos que os direcionam, voluntariamente, em direção ao outro.

2. Ideias implícitas negativas

Em uma relação amorosa, os parceiros têm ideias (favoráveis e desfavoráveis) explícitas e totalmente conscientes, mas também ideias implícitas e “viscerais”. Essas opiniões implícitas podem ser especialmente reveladoras sobre o futuro de um relacionamento.

Sem parar para pensar, o que você diria que seu parceiro acha de você? E você, que impressão “visceral” tem sobre o seu parceiro? São opiniões difíceis de se ver no cotidiano, mas que aparecem em certas circunstâncias e podem ser bastante significativas.

De fato, a ciência sugere que ideias implícitas negativas sobre os parceiros aumentam o risco de separação (Lee et al., 2010).

3. Reações menos favoráveis às boas notícias

Quando algo bom lhe acontece, e você compartilha a notícia com seu parceiro, ele comemora com você? Fica feliz por você?

Reações a boas notícias podem dar uma boa visão da estabilidade futura de um relacionamento.  Parceiros que percebem reações menos entusiasmadas, mais críticas ou passivas são mais propensos a se separar nos meses seguintes (Gable et al., 2010).

Compartilhar boas notícias com alguém que não reage como você espera é uma experiência decepcionante.

4. Ausência de comportamentos não-verbais positivos

A forma como você diz algo pode revelar mais do que o próprio conteúdo.

Comportamentos não-verbais positivos (por exemplo, toques, sorrisos, posturas) preveem maior satisfação com a relação amorosa (Faure et al., 2018). Relações fortes têm uma comunicação não-verbal intensa e positiva. A ausência de comunicação não-verbal positiva, ou a existência de comunicação não-verbal negativa, costuma ser um sinal de uma relação amorosa enfraquecida.

5. Falta de conversa sobre sentimentos

Com que frequência você e seu parceiro compartilham sentimentos? A questão aqui não é o quanto vocês dizem ‘eu te amo’ ou trocam outros carinhos verbais. Conversar sobre os sentimentos de cada um em relação a diferentes aspectos da vida – trabalho, família, futuro etc. – contribui para a saúde do relacionamento.

Para haver uma conversa genuína, é preciso haver uma escuta receptiva e atenta, que valida o que o outro sente e mostra que se importa (Laurenceau et al., 1998).

Quando as pessoas deixam de partilhar sentimentos importantes com um parceiro ou passam a partilhar com outra pessoa, podem estar se distanciando do relacionamento.

6. Menos ilusões

Quão incrível é o seu parceiro? Relacionamentos podem persistir, em parte, porque idealizamos nossos parceiros, especialmente em características que são particularmente importantes para nós. Um estudo sugere que essas ilusões positivas são preditores importantes da estabilidade de um relacionamento, e a falta delas pode ser sinal de que a relação amorosa está se deteriorando (Le et al., 2010).

relação amorosa

Os sinais de que um relacionamento está enfraquecendo podem vir de muitas formas.

A lista acima inclui comportamentos por vezes difíceis de notar no momento, mas que, em retrospectiva, podem parecer óbvios.

Ou seja, os sinais estão lá.

Referências

Lee, S., Rogge, R. D., & Reis, H. T. (2010). Assessing the seeds of relationship decay: Using implicit evaluations to detect the early stages of disillusionment. Psychological Science, 21, 857-864.

Park, Y., Impett, E. A., Spielmann, S. S., Joel, S., & MacDonald, G. (2021). Lack of intimacy prospectively predicts breakup. Social Psychological and Personality Science, 12(4), 442-451.

Laurenceau, J. P., Barrett, L. F., & Pietromonaco, P. R. (1998). Intimacy as an interpersonal process: The importance of self-disclosure, partner disclosure, and perceived partner responsiveness in interpersonal exchanges. Journal of personality and social psychology, 74(5), 1238.


RECADO PARA VOCÊ

A pandemia tem afetado o bem-estar de muitas pessoas.

Ansiedade, estresse, medo – aconteceu com você?

Se você não estiver se sentindo bem, procure ajuda.

Clique no botão do WhatsApp abaixo e fale diretamente comigo.


VEJA TAMBÉM

https://rgpsicologia.com/

Deixe uma resposta