Artigos

Phubbing: você pode estar trocando seu parceiro pelo celular

Palavras-chave: phubbing; celular; smartphone; namoro; relacionamentos

Por Psicólogo Rodrigo Giannangelo | Publicado em 14 de junho de 2022


Phubbing é um neologismo da língua inglesa formado pela junção das palavras phone (telefone) e snubbing (esnobar). Ocorre quando alguém deixa de dar atenção a quem está presente e concentra-se em atividades no celular.

O phubbing é um hábito cada vez mais comum, na medida em que nossos celulares se tornam uma companhia inseparável e acumulam um número crescente de funções.

Pesquisas recentes mostram que cerca de metade dos adultos americanos relatam sofrer phubbing por parte de seus parceiros românticos, e que a prática está diretamente associada a relações menos satisfatórias.

Phubbing
Phubbing

O que a ciência diz sobre o phubbing

Em estudo publicado mês passado no “Computers in Human Behavior”, Michal Frackowiak e colegas entrevistaram casais durante uma semana para entender como a dinâmica do phubbing se mostra no cotidiano.

A pesquisa envolveu 133 participantes que vivem com um parceiro romântico. Por meio de questionários, essas pessoas avaliaram, diariamente:

– A ocorrência de phubbing;

– A intensidade com que acontecia;

– Suas atitudes em relação ao phubbing;

– Se julgavam que o comportamento de seu parceiro era justificado;

– Se seu parceiro parecia interessado e sensível em relação a eles;

– O quanto estavam satisfeitos com seu relacionamento naquele dia.

Quais foram os resultados?

Faria sentido que as pessoas se sentissem especialmente insatisfeitas com seus relacionamentos nos dias em que o phubbing aconteceu. Porém, não foi isso que os pesquisadores encontraram.

De fato, a satisfação no relacionamento dependia muito mais de como o parceiro “esnobado” percebia o phubbing.

Nos dias em que os participantes relataram ter sofrido níveis mais intensos de phubbing, também percebiam seu parceiro menos sensível a eles e pensavam que não havia uma boa justificativa para esse comportamento.

Essa tendência de perceber o comportamento do parceiro como injustificado também estava relacionada à menor satisfação com a relação. Isso era especialmente verdade quando as pessoas percebiam seus parceiros pouco interessados por elas. Ou seja, a sensação de que a desatenção era injustificada deixou o parceiro menos responsivo é decisiva para a insatisfação na relação.

A Importância das Percepções e o Phubbing

Este estudo destaca a importância não apenas do comportamento, mas também da forma como esse comportamento é percebido. Usar o telefone junto do parceiro não necessariamente afeta a satisfação com o relacionamento.

Quando há um bom motivo para usar o telefone, e você consegue continuar dando atenção ao seu parceiro, provavelmente está tudo bem.


RECADO PARA VOCÊ

O mundo pós-pandemia tem afetado o bem-estar de muitas pessoas. Ansiedade, estresse, medo – acontece com você?

Se não estiver se sentindo bem, procure ajuda.

Clique no botão abaixo e fale comigo.


https://rgpsicologia.com/

Deixe uma resposta