Artigos

7 sinais que seu relacionamento não vai dar certo

Palavras-chave: sinais que seu relacionamento não vai dar certo; relacionamento; relacionamentos; como superar o fim de um relacionamento; fim de relacionamento; relacionamento tóxico sinais

Por Psicólogo Rodrigo Giannangelo | Publicado em 22 de setembro de 2022


Desde o início, certas características funcionam como indicadores que diferenciam uma relação saudável de uma relação tóxica / abusiva.

Muito se fala sobre as atitudes necessárias para sustentar um bom relacionamento. No entanto, se você busca um amor verdadeiro, também deve estar atento ao que não fazer:

sinais que seu relacionamento não vai dar certo
sinais que seu relacionamento não vai dar certo

#1: Apressar as coisas

É empolgante quando você conhece alguém de quem gosta, e que parece gostar de você também. Dá vontade de estar junto o tempo todo, conversando o tempo todo, mandando e recebendo mensagens o tempo todo… Aquela pessoa acompanha seus pensamentos, de manhã até de noite.

Ou seja, em um instante você estava solteiro, e no outro se vê dentro de um relacionamento. Nessa velocidade, não deve demorar para pensar coisas como dividir despesas e morar junto.

Há pessoas que acham isso tudo muito romântico – conhecer alguém e já decidir nunca mais sair do seu lado. Acreditam que o rápido envolvimento e a construção de planos comuns são sinais de amor.

Mas não são. De fato, muitos relacionamentos tóxicos e abusivos começam nessa velocidade alucinante. Antes que tudo comece a dar errado, as pessoas abandonam seus trabalhos, casas, famílias; nada mais importa, a não ser estar junto do ser amado.

Portanto, vá mais devagar!

E cuidado: não interprete a menor velocidade do outro como desinteresse! Talvez ele esteja apenas dando tempo para que ambos se conheçam melhor e fiquem mais confortáveis na presença um do outro.

A sabedoria popular diz que “paixão não é amor”. Pois a paixão se baseia em idealizações. Por isso, a paixão não resiste aos testes da realidade.

Pode ser agradável a sensação de pensar constantemente no seu parceiro ou em sua parceira, mas é preciso compreender que você pode viver o prazer dessa sensação sem estar com a pessoa o tempo todo.

Quando alguém que você está conhecendo se recusa a fazer algo, alegando que é “muito cedo”, nem sempre está “enrolando” você. Há a chance de que esteja lhe tratando com o respeito que você talvez nunca tenha recebido. Se essa pessoa valoriza seu tempo, respeita seus compromissos e aprecia você de verdade, pode não querer se tornar uma grande parte da sua vida até ter certeza de que virá para ficar.

Passar um tempo separados dá espaço aos parceiros para que possam estar juntos porque realmente desejam, e não porque se acostumaram a isso. E não esqueça de que seu parceiro ou sua parceira se interessou por você com todos os interesses e atividades que você tem. Renunciar a esses interesses e atividades para estar em relação vai tornar você uma pessoa menos interessante e atraente.

#2 Aproximar sua família imediatamente

Sim, você quer apresentar essa pessoa maravilhosa à sua família, mas lembre-se: esse é um passo que não pode ser desfeito.

Há pessoas que querem desesperadamente que seus ‘crushs’ conheçam sua família por achar que têm uma família adorável, que vai aprofundar o interesse do parceiro ou parceira. No lado oposto, há pessoas que apressam essa apresentação porque acham que sua família pode ser um problema, portanto querem logo se livrar da ansiedade de saber se há compatibilidade.

Contudo, manter o relacionamento longe da família por algum tempo permite que o casal construa laços além de seus papéis familiares. Permite criar maior confiança e compreensão, para apreciar a apresentação quando chegar a hora.

#3: Moldar-se ao que esperam de você

Imagine que você está carente, sentindo falta de estar em um relacionamento. De repente, você conhece alguém interessante, e as coisas parecem estar dando certo.

O medo de perder aquela relação e voltar à incômoda carência pode fazer você colocar de lado seus próprios desejos suas necessidades. Você quer tornar aquela relação a mais confortável possível para a outra pessoa, para garantir que ela não vai terminar com você.

No fundo, porém, você sabe que quer que a pessoa se apaixone por você, não por uma personagem que você está assumindo. Quando você muda por esse motivo – suas roupas, sua aparência, suas opiniões – você está mentindo para si e para seu parceiro ou sua parceira. Essa não é a base para uma relação aberta e honesta.

Inconscientemente, você talvez pense que não é bom o suficiente para aquela pessoa. Então, se agarra desesperadamente a qualquer relacionamento que ela lhe oferecer.

#4 Ignorar sinais de alerta

A obsessão de fazer um relacionamento funcionar também pode levar você a focar nos pontos positivos e negligenciar sinais de alerta de que algo não vai bem. Essa é uma atitude perigosa, pois pode levar a relações abusivas e tóxicas.

Preste atenção em como você se sente perto de seu “crush”. Se sentir desconforto, insegurança, medo ou desrespeito, a qualquer momento e em qualquer situação, não deixe simplesmente pra lá. Este é possivelmente um sinal de alerta de coisas ruins que estão por vir.

Mas cuidado: por vezes, você pode colocar barreiras a uma nova relação por causa de vivências traumáticas em seu passado. Mas há diferenças. Escrevi sobre isso e você pode saber mais sobre a diferença entre sinais de alerta e vínculos traumáticos AQUI

#5 Aceitar ser tratado ‘de qualquer jeito’

Se alguém não tratar você com respeito e dedicação durante os primeiros meses da relação, nunca irá. “Eu sou assim, não vou mudar só porque estamos namorando” – você pode ouvir.

Porém, se você aceitar isso, normalizará o desrespeito e a falta de dedicação. Dificilmente um relacionamento continuará saudável depois disso.

#6 Agir contra seus valores

O que você valoriza na vida faz você quem você é. Se seu novo parceiro ou sua nova parceira tem crenças e valores muito diferentes dos seus, em relação a assuntos importantes para você, será difícil as coisas funcionarem.

Ter hobbies, gostos culinários ou musicais diferentes é uma coisa – que pode ser até interessante – mas se alguém faz ou diz coisas que deixam você desconfortável, talvez não seja a pessoa certa.

Mais uma vez, não vale a pena esconder as diferenças para encaixar suas vidas.

É natural querer encontrar semelhanças, mas semelhanças falsas não duram. Se você precisa se esforçar muito para encontrar coisas em comum, talvez elas não existam.

#7 Confiar cegamente

A confiança vem com o tempo. Se você confia cegamente em alguém que não conhece bem, acaba correndo risco. Pode não ser uma afirmação muito romântica, mas existem pessoas manipuladoras e aproveitadoras.

Por exemplo, você não precisa contar sua história de vida no primeiro encontro, nem quanto você ganha, nem sobre seus bens etc. Nada disso deve ter importância no começo da relação, nem a pessoa mereceu saber.

O modo como você interpreta seu passado é singular, e pode ser ruim para a outra pessoa avaliar algo tão pessoal sem conhecer bem você.

A pessoa certa vai ter tempo para conhecê-la(o).


RECADO PARA VOCÊ

O mundo pós pandemia tem afetado o bem-estar de muitas pessoas. Ansiedade, estresse, medo – acontece com você?
Se não estiver se sentindo bem, procure ajuda.
Clique no botão abaixo e fale com um especialista.


https://rgpsicologia.com/


tags:

sinais que seu relacionamento não vai dar certo

sinais que seu relacionamento não vai dar certo

2 comentários em “7 sinais que seu relacionamento não vai dar certo”

  1. Quando a gente vê conteúdos com N sinais para _____ , já dá uma pulga atrás da orelha. Pois pode haver uma indução ao evento, causando um enviesamento na expressão do evento, ou, causar um “falso positivo” em situações similares.
    Falar de sinais genéricos num relacionamento necessita de evidências robustas e de boas métricas para tais afirmações, afinal, observar um padrão comportamental em algo tão subjetivo é sempre muito difícil de se afirmar. Sem ter tais referências acadêmicas, o post beira ao click-bait. Seria muito melhor colocar referências acadêmicas mostrando que por exemplo, num grupo de Y casais recentes, os que apresentaram a família logo terminaram o relacionamento em menos de X anos; ou num grupo de X casais, os que foram morar juntos desde o começo, acabaram em Y anos.
    Os sinais ficam tão vagos sem essas referências que mais parece uma leitura de horóscopo. Que já se sabe muito bem que funcionam utilizando um viéis de falso positivo. Em que a pessoa lê aquilo e tenta encaixar aquele rótulo numa situação que aconteceu com ela, de modo a validar o texto. É bom ter cuidado ao falar esse tipo de coisa, pois no caso desse post, pode ocasionar ainda traumas fortes decorrentes a uma ruptura de um relacionamento sólido que passava por uma crise, ou que se encaixava nesses ” sinais”.

Deixe uma resposta